filhote cervo 3

SÃO CARLOS / Nasce mais um filhote de Cervo do Pantanal no Parque Ecológico de São Carlos

filhote cervo 3

Até parece um filhote de rena, que nesta época ajuda o Papai Noel a trazer presentes, porém para o Parque Ecológico de São Carlos ele é o verdadeiro presente de Natal. Nascido no início de dezembro, o mais novo habitante é um Cervo do Pantanal, maior cervídeo nativo do Brasil, e muito ameaçado na natureza.

O Cervo do Pantanal (Blastocerus dichotomus) também chamado suaçuetê, suaçupu, suaçuapara, guaçupuçu, é um mamífero ruminante da família dos cervídeos e único representante do gênero Blastocerus. Ocorria em grande parte das várzeas e margens de rios do centro da América do Sul, desde o sul do rio Amazonas até o norte da Argentina, mas atualmente, a espécie só é comum no Pantanal, na bacia do rio Guaporé, na ilha do Bananal e em Esteros del Iberá.

É o maior cervídeo sul-americano, podendo pesar até 125 kg e ter até 127 cm de altura. Os machos são um pouco maiores que as fêmeas e possuem chifres ramificados. Os cascos são longos e podem se abrir até cerca de 10 cm, graças à presença de uma membrana interdigital, o que é uma adaptação ao deslocamento em ambientes inundados. É preferencialmente solitário e diurno, e seus predadores são a onça-pintada (Panthera onca) e a onça-parda (Puma concolor). Sua dieta constitui-se principalmente de plantas aquáticas. A gestação dura entre 251 e 271 dias, e as fêmeas dão à luz um filhote por vez.

A IUCN e o ICMBio consideram a espécie como “vulnerável” e sua área de distribuição geográfica foi radicalmente reduzida a partir do século XX. As principais ameaças são a alteração do habitat por conta da construção de usinas hidrelétricas, as doenças advindas de animais domésticos, como a febre aftosa e a caça, principalmente como troféu. Existem inúmeras unidades de conservação em que ocorre a espécie, e ela foi reintroduzida com sucesso na Estação Ecológica Jataí, em Luiz Antônio, perto de São Carlos, Inclusive o Parque Ecológico contribuiu com este programa de reintrodução.

Este é o segundo filhote que nasce em 2019 no Parque de São Carlos. Os nascimentos em sequência são importantes para a manutenção da colônia em cativeiro e demonstra os bons serviços realizados com a espécie, inclusive o Parque Ecológico foi escolhido pela AZAB (Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil) como “Padrinho do Cervo do Pantanal“ e assumiu a responsabilidade de organizar e divulgar as atividades de conservação e de educação ambiental relacionados com a espécie.

De acordo com Fernando Magnani, diretor do Departamento de Defesa e Controle Animal da Secretaria de Serviços Públicos, o Parque foi um dos primeiros zoológicos do Brasil a integrar o Programa de Conservação do Cervo do Pantanal, ainda na década de 90. “Fui procurado, em 1990, pelo pesquisador da UNESP de Jaboticabal e coordenador do programa de resgate do cervo do pantanal, Maurício Barbante, quando do início da construção da hidrelétrica de Porto Primavera e atendendo ao pedido do professor, remanejamos um dos últimos cervos e construímos um recinto para abrigar o animal. A partir daí formamos um plantel viável e iniciamos o trabalho de conservação”, explica Magnani lembrando que esse é o 17º filhote da espécie que nasce em cativeiro em São Carlos.

O Parque Ecológico “Dr. Antônio Teixeira Vianna” está localizado na Estrada Municipal Guilherme Scatena, km 2. O Parque é aberto para visitação pública gratuita de terça-feira a sábado, das 8h às 16h30 e aos domingos, das 8h às 17h30, inclusive aos feriados. Outras informações podem ser obtidas pelo email pq.ecosc@saocarlos.sp.gov.br ou pelos telefones (16) 3361-2429 ou 3361-4456.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário